Resident Evil: os melhores (e piores) jogos da franquia

Entre sucessos de crítica e público e títulos que não agradaram a quase ninguém, franquia da Capcom é uma mais importantes e influentes da indústria dos games

Entre sucessos inquestionáveis e fracassos retumbantes, Resident Evil é uma mais importantes e influentes franquias da indústria dos games, Resident Evil Village sendo o título mais recente da franquia e Resident Evil 4 Remake o próximo grande lançamento. Principal responsável pelo sucesso do gênero horror de sobrevivência, a clássica franquia da Capcom já passou por altos e baixos, se aventurou pelo gênero de ação nos tempos de Xbox 360 e PlayStation 3 e retornou às origens nos títulos mais recentes, mas sempre se mantendo relevante na indústria.

Neste ranking, o MGG Brasil lista os melhores jogos da franquia e faz algumas menções não tão honrosas aos títulos que mais decepcionaram nesses 26 anos da série.


Melhores jogos de Resident Evil

12º - Resident Evil 3 Remake

Lançado em abril de 2020, apenas 1 ano e 3 meses depois de Resident Evil 2 Remake, Resident Evil 3 Remake tinha tudo para repetir o sucesso de seu antecessor, mas a aparente pressa da Capcom em lançar o jogo prejudicou muito o potencial do projeto.

Com Jill Valentine no papel principal numa Racoon City já devastada e o icônico Nemesis como maior e mais recorrente ameaça durante a campanha, o game repete os excelentes elementos de gameplay de Resident Evil 2 Remake, com câmera sobre o ombro, livre movimentação e necessidade de bom gerenciamento de recursos.

Embora seja bastante competente em aspectos técnicos, inclusive com Jill ganhando um rolamento como técnica de esquiva, Resident Evil 3 Remake peca na história, que muda para pior vários méritos do título original, eliminou áreas inteiras que eram enormemente aguardadas pelos fãs e ainda incluiu uma transformação de Nemesis que foi muito mais criticada do que elogiada, tanto no visual quanto em aspectos de gameplay. A campanha extremamente curta foi outro ponto que despertou críticas, especialmente pelo preço de lançamento do jogo nos consoles


11º - Resident Evil Zero


Último grande lançamento da franquia a abraçar o sistema de câmera fixa e controles tanque, Resident Evil Zero foi lançado originalmente para o Nintendo Game Cube em novembro de 2002 e teve boa recepção de crítica e público. O jogo é o primeiro game na cronologia da série e traz a S.T.A.R Rebecca Chambers e o ex-tenente da Marinha Billy Coen nos papeis principais.

Além de servir como um prólogo para Resident Evil 1 e mostrar que foi Chambers a primeira integrante da S.T.A.R a conhecer a Mansão Spencer, o jogo expande de forma competente o universo da franquia, traz a possibilidade de alternar entre os protagonistas e bebe muito da fonte do remake do primeiro Resident Evil, lançado em março de 2002, em termos de gameplay.


10º - Resident Evil: Revelations


Considerado um dos melhores spin-offs da franquia até hoje, Resident Evil Revelations é também o melhor jogo da série projetado originalmente para consoles portáteis. Lançado em fevereiro de 2012 para Nintendo 3DS, o jogo é elogiado pelo bom equilíbrio entre elementos de ação, sobrevivência e terror.

O jogo segue Jill Valentine e seu parceiro Parker Luciani, que estão em busca de Chris Redfield e Jessica Sherawat, desaparecidos após uma missão em um navio cruzeiro abandonado, o Queen Zenobia. Com um dos melhores suspenses da franquia e elogiado por extrair ao máximo a capacidade gráfica do 3DS, Resident Evil Revelations é um dos poucos grandes acertos da série em consoles de mão, embora suas versões HD lançadas para consoles tenham sido menos elogiadas.


9º - Resident Evil 5


Resident Evil é dos melhores games da franquia Resident Evil, e só não aparece em posições mais altas na lista por investir demasiadamente na ação e abandonar quase que totalmente o horror de sobrevivência.

Lançado em setembro de 2009 para Xbox 360, PlayStation 3 e PCs, RE 5 coloca os agentes da B.S.A.A Chris Redfield e Sheva Alomar trabalhando juntos para investigar uma ameaça terrorista em Kijuju, uma região fictícia da África. O jogo também investiga um pouco do passado de Chris, traz de volta o icônico vilão Albert Weslker e foi extremamente elogiado pelo sistema de co-op entre Chris e Sheva.

Embora tenha sido bem avaliado, o investimento excessivo na ação, com horas de inimigos na tela e a quase nenhuma necessidade de gerenciar munição, Resident Evil 5 não fugiu da responsabilidade de assumir riscos e trazer novidades para a franquia, mas em contrapartida se assemelhou demais a outros shooters de ação, chegando a ser comparado a Gears of War em alguns aspectos.

No fim, o game foi alvo de muito mais elogios do que criticas, mas dentro da franquia Resident Evil acaba ficando abaixo de outros títulos mais fiéis à proposta de horror de sobrevivência.


8º - Resident Evil 1


Embora seja indiscutivelmente um jogo datado em termos visuais e tenha a gameplay mais travada da franquia hoje, Resident Evil ainda é um marco para o gênero de horror de sobrevivência.

Ambientado na icônica e assustadora Mansão Spencer, o jogo segue a história de um grupo de agente da S.T.A.R.S que investiga uma série de assassinatos brutais nos arredores de Raccoon City até se depararem com a enorme casa onde a trama do jogo se desenrola.

O jogador pode escolher controlar Jill Valentine ou Chris Redfield e precisa resolver quebra-cabeças e matar zumbis infectados pelo Vírus T enquanto progride na história. Ciente da necessidade de melhorar o jogo tanto em visuais quanto em gameplay, a Capcom lançaria um remake do título original 6 anos mais tarde, melhorando o jogo em todos os aspectos.


7º - Resident Evil 7: Biohazard


Uma verdadeira volta às origens da série. Assim pode ser caracterizado o trabalho da Capcom em Resident Evil 7: Biohazard. Após a má recepção a Resident Evil 6, que apesar do capricho visual se afastou completamente da franquia ao investir em um game de ação, mas sem o nível de acerto de Resident Evil 5, o sétimo jogo da série principal trouxe um protagonista novo, Ethan Winters, e investiu pela primeira vez na perspectiva em primeira pessoa em um grande lançamento da franquia.

Ethan está em busca de sua esposa, Mia, quando se depara com uma macabra mansão em uma área rural habitada pela família Baker. Investindo num protagonista completamente novo e com uma perspectiva em primeira pessoa, Resident Evil 7 coloca o jogador completamente imerso no clima de filme de terror que procura passar, e foi um acerto que recolocou a franquia nos trilhos.

Apesar dos vários elogios, o fato de Ethan ser um personagem totalmente inédito e não ter seu rosto mostrado em nenhum momento criou um certo distanciamento de parte dos fãs, que criticaram a ausência de um modo de jogo em terceira pessoa.


6º - Resident Evil 3: Nemesis


Para uma parte dos fãs, Resident Evil 3: Nemesis é o melhor dos três jogos da trilogia ambientada em Raccoon City, seja pelo estilo mais dinâmico de gameplay, a evolução gráfica em comparação a seus predecessores ou pela ameaça constante proporcionada pelo monstruoso Nemesis.

Em vários aspectos, o jogo foi de fato o mais refinado tecnicamente dos três primeiros jogos da série principal, com Jill parecendo sempre em grande perigo e um senso de urgência que poucos títulos de survival horror foram capazes proporcionar até hoje.

Com um dos finais mais marcantes da história da franquia, Resident Evil 3 Nemesis é um dos jogos da lista que poderia perfeitamente estar em posições ainda mais altas, e só não está porque os demais títulos da lista também são pesos-pesadíssimos.


5º - Resident Evil: Code Veronica


Lançado originalmente com exclusividade para o Dreamcast, Resident Evil: Code Veronica foi um jogo aclamado por crítica e público, embora só tenha alcançado maior sucesso comercial conforme ganhou versões para outros consoles.

Considerado por por muitos o melhor game da franquia com câmera fixa e movimentação tanque, o game tem como protagonista Claire Redfield, que é presa em Paris ao invadir a sede da Umbrella Corporation em busca de pistas que ajudassem a encontrar seu irmão Chris.

Após ser levada à Ilha Rockford, localizada na América do Sul e pertencente à Umbrella, Claire se depara com um jovem chamado Steve Burnside, também prisioneiro na Ilha, e protagoniza um game que equilibra com enorme competência elementos de sobrevivência e ação, além de contar um clima de suspense poucas vezes repetido com tanto êxito dentro da série.


4º - Resident Evil Village


Se Resident Evil 7: Biohazard foi um game que trouxe à franquia de volta às origens, Village foi o game que melhorou os aspectos nos quais seu predecessor falhava. Com um Ethan em busca de respostas após ser sua esposa Mia ser inexplicavelmente morta por Chris Redfield, o jogo traz uma variedade de inimigos maior e lutas contra chefões muito mais memoráveis que Resident Evil 7.

O game traz diversos elementos que lembram Resident Evil 4, grande responsável por modernizar a franquia após o fim da era da câmera fixa e movimentação tanque. Village brilha na ambientação soturna e intimidadora, além de ter uma ação extremamente satisfatória e um dos momentos mais assustadores (se não o mais assustador) de toda a história da franquia.

De todos os títulos 100% originais de Resident Evil dos últimos 15 anos, Village é o melhor deles, justamente por saber equilibrar os elementos de terror e sobrevivência com momentos memoráveis de ação. Não por acaso, concorreu ao prêmio de Jogo do Ano no The Game Awards 2021, e não seria nenhum absurdo se tivesse levado o prêmio máximo.


3º - Resident Evil 2 e Resident Evil 2 Remake (empatados)


Único episódio da franquia em que versão original e remake podem ser considerados igualmente bons, Resident Evil 2 e Resident Evil 2 Remake têm, sim, diferenças entre si, mas ambos conseguiram executar com enorme competência suas respectivas propostas. Em uma Racoon City já devastada, Leon Kennedy chega ao Departamento de Polícia de Raccoon City para seu primeiro dia de trabalho e se depara com um cenário caótico, enquanto a jovem Claire Redfield está em busca de informações sobre o paradeiro de seu irmão Chris.

No game original, Leon e Claire têm campanhas e caminhos um tanto distintos, e os jogadores realmente devem zerar o game com cada um deles para montar o quebra-cabeças completo para entender tudo que se passa na história, enquanto monstros como o Licker e o Mr X criam uma atmosfera de terror e senso de urgência durante a campanha.

Em Resident Evil 2 Remake, a maioria das melhores características do game original não apenas foram mantidas, como o gameplay foi modernizado e melhorado enormemente, com a perspectiva em terceira pessoa e a câmera sobre o ombro trazendo enorme imersão à campanha. Contudo, uma das principais qualidades do jogo original acabou ficando de fora: o aspecto complementar das campanhas de Leon Claire, que no remake tem caminhos com pequenas diferenças, mas em geral muito parecidas.

Ainda assim, Resident Evil 2 é, até o momento, o episódio em que versão original e remake mais se aproximaram em nível de qualidade, com cada jogo tendo seus prós e contras, mas ambos excelentes.


2º - Resident Evil 4



Para grande parte dos fãs, Resident Evil 4 é o auge da franquia até hoje, e não faltam motivos para considerar o título lançado originalmente em 2005, a princípio com exclusividade para o Nintendo Game Cube, o melhor game da série. Ambientado em um fictício e macabro vilarejo da Espanha, o jogo segue Leon Kennedy, agora um agente especial do governo dos Estados Unidos que recebe a missão de resgatar a filha do presidente dos Estados Unidos, Ashley Graham.

Resident Evil 4 foi o game que revolucionou a série, investindo mais elementos de ação e trazendo pela primeira vez a perspectiva em terceira pessoa e câmera sobre o ombro. Para além do impacto dentro da série, o título foi um marco para a indústria dos games, iniciando a popularização de jogos com o sistema over the shoulder (sobre o ombro), que ganhou ainda mais força após o lançamento de franquias como Gears of War, Uncharted, Dead Space e The Last of Us.

Com um excelente equilíbrio entre ação e elementos de sobrevivência, Resident Evil 4 é um marco dentro da franquia, foi aclamado por crítica e público e, por isso, leva a medalha de prata da lista


1º - Resident Evil 1 Remake


Conforme citado anteriormente nesta lista, o primeiro Resident Evil foi um marco na história da indústria de games e deu origem a uma franquias mais populares da história, mas não envelheceu bem em termos visuais e de gameplay. Justamente por isso, a Capcom lançou em março de 2002 um remake que até hoje é uma verdadeira aula de como modernizar um game mantendo suas características originais.

Com gráficos totalmente retrabalhados, Resident Evil Remake manteve a câmera fixa e movimentação tanque do game original, mas refinando e melhorando o gameplay em todos os aspectos, com controles mais precisos e amigáveis aos jogadores.

Sendo um survival horror em essência, o título exige dos jogadores o tempo todo o bom gerenciamento de recursos e a necessidade de evitar combates desnecessários para poupar munição. Com um clima de suspense e terror na medida certa e uma jogabilidade que, mesmo baseada em um título de 1996, conseguiu se manter satisfatória até os dias de hoje, Resident Evil 1 Remake fica com a medalha de ouro da lista.


Menção desonrosa: Resident Evil 6


Resident Evil tem uma característica incomum para uma franquia tão longeva: de modo geral, todos os títulos da série principal uma recepção no mínimo boa de crítica e público. O patinho feio e exceção à regra é Resident Evil 6, que exagerou na dose ao investir na ação e, diferentemente de Resident Evil 5, não foi um game disruptivo no sentido positivo.

Apesar de visuais verdadeiramente impressionante para um game de 2013 e ter uma das campanhas mais longas da franquia, ao lado de Resident Evil 4, Resident Evil 6 foi ambicioso demais, ao tentar investir num verdadeiro thriller de ação, com ameaça de bioterrorismo em escala global, e aposta num jogo com 4 diferentes campanhas principais, protagonizadas por Leon Kennedy, Chris Redfield, Ada Wong e Jake Miller, filho do vilão Albert Wesker.

Se tivesse sido bem executado, Resident Evil 6 teria tudo para ser o melhor e mais ambicioso game da franquia, mas traz uma história bem menos instigante do que o prometido, exagera nos momentos de ação e abandona quase que completamente qualquer elemento de sobrevivência. Não por acado, é o jogo da série principal que menos agradou crítica e público e considerado o ponto baixo da franquia quando considerados apenas os títulos principais. Ainda assim, ele não é o pior jogo da série, já que há títulos fora da série principal considerados verdadeiras bombas, que serão apenas listados abaixo. Experimente-os por sua conta e risco.


Piores jogos de Resident Evil


  • Umbrella Corps

  • Resident Evil: Survivor

  • Resident Evil: Operation Raccoon City

  • Resident Evil Outbreak File #2

  • Resident Evil: Resistance

  • Resident Evil: Dead Aim

  • Resident Evil: The Mercenaries 3D



FONTE: https://br.millenium.gg/noticias/10536.html

0 visualização0 comentário